Delação de Melo Filho complica Padilha e, de roldão, o presidente Michel Temer



A comentarista Vera Magalhães destaca a delação de Claudio Melo Filho, que citou o empresário José Yunes em suposto recebimento de dinheiro vivo em seu escritório, na zona sul paulista.

No depoimento, o ex-executivo da empreiteira afirmou que participou de jantar no Palácio do Jaburu com Marcelo Odebrecht, Temer e Eliseu Padilha.

Neste momento, segundo o delator, Temer havia pedido apoio financeiro ao PMDB na campanha de 2014. Melo Filho disse que pagaria R$ 10 milhões, sendo que deste valor, R$ 4 milhões ficariam sob responsabilidade do agora ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

De acordo com a delação, um dos pagamentos foi feito na sede do escritório de advocacia de Yunes, no Jardim Europa, zona sul de São Paulo.

Dos R$ 4 milhões, R$ 1 milhão foi repassado no escritório do empresário, segundo esclarece Vera Magalhães.

Comentários